Os que gostam de ler

Do sonho - Capitulo I


Parecia um sonho. Lembro que estava num salão com muitas outras pessoas. Elas pareciam estar se divertindo, bebendo alguma coisa, conversando, flertando. Algumas pessoas me olhavam. Eu apenas entrei no salão.
E então quando eu menos esperava, um sujeito que estava a poucos metros a minha frente, levantou-se de sua cadeira e simplesmente agrediu o rapaz que estava ao seu lado sentado e conversando com uma garota – aparentemente sua namorada ou esposa. Ele deu soco tão forte, mas tão forte que de onde eu estava eu pude ouvir perfeitamente o impacto!
Nisso um outro sujeito que estava sentado com aquele que agredira o outro, tenta segurá-lo. Mas impossível por que este também foi agredido pelo o homem enlouquecido.
Enquanto o homem que agrediu o rapaz de sua mesa ainda admirava a agressão feita, o rapaz que havia levado um soco da primeira vez, após recuperar-se da lesão, levanta e agride o agressor. Eis que está formado o campo de batalha.
Ao mesmo tempo que tudo isso acontece, do outro lado do salão, eu não pude ver direito, parece que esta acontecendo a mesma coisa! A situação espalhou-se, e eu estava encrencado por que estava perto dos eventos e não estava nada a fim de brigar.
Aquele grupo que estava mais próximo de mim – incluindo a namorada que resolveu entrar na briga também – estavam se aproximando de mim. Tentei procurar uma porta, mas não pude encontrá-la a tempo de um dos homens me agredir e depois disso só me lembro da escuridão.

No dia seguinte acordei assustado em meu quarto. Perguntei-me como fui parar ali deitado na minha cama? Será que tudo o que eu vivi não passou de um sonho? Que lugar era aquele, quem eram aquelas pessoas e por que comportavam se daquele jeito?
Olhei para o meu despertado e vi que faltava dez minutos para eu entrar no trabalho! Simplesmente pulei da cama e fui direto ao banheiro para lavar-me e trocar de roupa.
Passado o período “não sei como tudo aquilo aconteceu” ao chegar ao meu trabalho vejo um e-mail que dizia para comparecer ainda hoje a um evento em homenagem a alguém do trabalho no horário X e no local Y. O evento era a noite e próximo de minha casa, eu não ia atrasar, aliás, até vou chegar cedo.
Fiquei o dia todo com aquele sonho na mente. Comentei com a minha namorada, mas ela como qualquer outra pessoa achou tudo aquilo um sonho bem estranho. Tentava explicar que eu literalmente vivi o sonho. Mas ela não compreendeu, ninguém compreenderia.

Próximo do horário marcado, fui até o local do evento. Como ficava perto de casa eu não precisava correr até lá, bem como não precisei marcar com ninguém do trabalho para me irmos todos juntos. De todos do trabalho eu sou o único que mora perto do trabalho. Isso me da algumas vantagens como, por exemplo, sair de casa faltando dez minutos para começar o trabalho. Além de morar perto do meu emprego eu ando muito rápido. Meu trabalho exige que eu seja ágil, e por isso eu adquiri essa habilidade de poder caminhar distâncias razoáveis em poucos minutos – o que alguém levaria alguns minutos correndo eu faço em menos minutos só que andando!
Quando cheguei até o local marcado me deparei com um estabelecimento parecido com um restaurante. Havia muitas pessoas na frente sentado em mesas na calçada do restaurante. Havia seguranças de terno preto e havia uma porta no centro do estabelecimento que tudo indicava que ali era a entrada.
Passei pelas pessoas, cumprimentei os seguranças, abri a porta e entrei. Não era uma casa noturna se não seria revistado. Lá dentro era um enorme salão. O bar ficava ao fundo, havia mesas por todos os lados. Muitas pessoas conversando e o som tocando. Tudo normal, olhei pro relógio e vi que falta um bom tempo para o pessoal do trabalho chegar, então eu sai novamente. Fiquei olhando as pessoas sentadas nas mesas da calçadas e pensei de como era engraçado fazer o que todo mundo faz.
Estava escurecendo, algo me dizia para entrar novamente, talvez poderia pedir alguma coisa para beber enquanto as pessoas não chegavam.
Assim que eu entrei no estabelecimento ouvi um barulho na porta atrás de mim, algo me dizia que alguém trancou a porta. No momento isso não me chamou tanto atenção quanto a cena que eu via na minha frente. As pessoas da primeira mesa a minha frente eram as mesmas do sonho, bem como o casal da mesa ao lado era o mesmo! Tomei um susto. Outra vez! Será que tudo aquilo foi um sonho ou estava mesmo aqui! Isso é algum tipo de déjà vu? Se for, o que esta prestes a acontecer não me é nada agradável.
Naquela hora tentei ligar para a minha namorada, mas o sinal do celular não pegava ali dentro. Talvez por que no sonho eu não havia utilizado o celular! Será?
Algo me chamou atenção bem ali na frente. O homem que agrediria o outro em questões de minutos levantou-se e eu pensei “é agora”. Dito e feito aconteceu mesmo. O homem sem explicação nenhuma, por que agora eu pude ver com mais precisão que ele não estava sequer falando com o rapaz da mesa ao lado, deu um soco tão forte no rosto do sujeito da mesa ao lado que deu pra ouvir o impacto da onde eu estava. Nesse mesmo momento a namorada do rapaz deu um grito dizendo seu loco para o rapaz que agrediu seu namorado, no mesmo momento o rapaz que esta sentado na mesa do agressor levantou-se e tentou impedi-lo de um novo golpe. E a cena se repetiu. Alguma coisa muito estranha tinha naquele lugar por que do outro lado do salão a mesma briga começou acontecendo, assim como era no sonho. Logo, tudo o que sonhei não era sonho!
A confusão toda já estava armada, eu tentei abrir a porta, surrei na esperança de que alguém do outro lado pudesse ajudar me, e nada. Quando eu vi outra vez toda aquela confusão tal qual era no sonho já era tarde por que o agressor havia me atingido em cheio o meu rosto.
Doeu tanto que eu fiquei sem consciência por alguns instantes. Dessa vez eu não apaguei. Pelo contrário, pude ver o que aconteceu depois. Reparei que os olhos do agressor estavam tingidos de vermelho, e que de sua boca saiu algum tipo de espuma! Simplesmente bizarro!
Os socos e os empurrões me levaram até o centro do salão onde eu pude ver que outros homens e algumas mulheres estavam com os olhos vermelhos e soltando espuma pela boca. Enquanto eu reparava nisso todo mundo brigava no salão. Pessoas do bar, casais de namorados, senhores e senhoras, rapazes, brancos e negros, todos envolvidos numa luta sem motivo algum.
Antes de sentir novamente o outro golpe que me fez perder todas as outras cenas que eu poderia narrar, senti alguma coisa me picando e logo em seguida eu pude sentir alguma coisa tomar conta da minha mente, espuma começava a sair da minha boca – minha garganta ardia e muito – e meus olhos lacrimejavam. O golpe veio e não me lembro de mais nada.

Minha cabeça doía e muito quando eu acordei na manhã seguinte. Era sábado e pelo o que eu me lembro havia do a um evento do trabalho. E abriga?! O que aconteceu comigo depois do soco que levei. Como era sábado e eu não trabalho de sábado, levantei e fui ao restaurante ali perto de casa.
Chegando lá vi que alguns homens estavam lavando a calçada. Tudo absolutamente normal. Então eu cheguei perto de um dos homens e perguntei se ele sabia que fim deu a briga que aconteceu ontem a noite. Ele me olhou com estranheza. Eu o encarei com mais estranheza ainda. Ele me disse que não aconteceu briga nenhuma no restaurante ontem. Fiquei surpreso. Não era de se esperar que você acorda num sábado depois de uma briga na noite passada e ao ir até o local você se depara com uma resposta do tipo “não aconteceu briga nenhuma no restaurante ontem”. Me despedi do homem. Ele continuou lavando sua calçada e eu permaneci com as minhas duvidas... O que esta acontecendo?

2 comentários:

  1. Gente, clube da luta dentro do restaurante! IUHGIUAHSGDUISA que horror, tinha até um mosquito que te transformava em um cara louco de raiva.

    Medo desse seu sonho, mas muito bom!
    HAHAHAHAHA

    ResponderExcluir