Os que gostam de ler

O mundo da eternidade

Liebesleid by Yo-Yo Ma on Grooveshark


Elogios são desnecessários a homens e mulheres de nossa época. Eles são perfeitos. Não exigem o misero elogio que um pobre qualquer necessite.

Vivemos no tempo da perfeição. Sem duvida, não há raça mais superior que a nossa. Já criamos tudo o que podíamos criar. Já embutimos tudo o que poderíamos embutir. Fizemos de tudo! Inclusive descobertas que maravilharam o mundo.

A morte já não existia mais. As doenças já não existia mais. A dor não existia mais. Não existia mais velhos. Todos somos jovens e belos. Finalmente o ser humano descobriu um modo de alcançar a eternidade! Finalmente! Descobriram um modo de tornar homens e mulheres iguais! 

Porém, alguém um dia reparou que não somos maquinas. Somos seres advindos da natureza do planeta. Tudo é mortal. Deus foi mortal. Não se pode conceber a idéia de que a vida deve durar para sempre, pois “para sempre” sempre acaba...

Quando esse alguém reparou que não morríamos mais e consequentemente o mundo ficou pequeno logo ocorreu o que ninguém nunca imaginou. O que viera como milagre e a solução de todos os problemas tornou-se o nosso maior erro. Não podíamos ter mais filhos, não podíamos mais fazer amor, não podíamos mais ser feliz e partilhar essa felicidade com alguém. A desculpa era que tudo não passava de uma medida de “segurança”.

E assim, não tivemos mais problemas de crescimento populacional. Contudo, tínhamos a vida eterna, mas não poderíamos ter alguém para com ela dividir a nossa eternidade.



Um comentário: