Os que gostam de ler

O cosmos te chama


Mantinha sempre o mesmo ritual. Aparentemente místico, oculto, exótico ele praticava cada ato com a devida referência.

Ao acordar tomava o seu banho de sal grosso sempre olhando em direção onde nasce o sol.

Vestia cada peça do seu manto como se cada peça fosse sagrada.

Ao terminar de se vestir olhava para a janela da personalidade. Ensaiava cada gesto que deveria ser usado para aquele dia especial.

Após esses atos preparatório, passava mão em sua mala e assim encaminhava-se ao templo das realizações.

Lá chegando dava inicio aos trabalhos ritualísticos e assim começava o inicio de mais um dia de trabalho como todos os outros.

Certa vez, quando saia de sua morada, ao atravessar a rua, fora surpreendido por dois sujeitos que declararam instantaneamente os seus últimos segundos no plano terrestre.

Eis que o fogo lhe atingiu. Sua alma partira de teu corpo. Agora ele pertencia a uma outra dimensão.

Quando chegou lá se deparou com seres que não aparentava ser o que chamavam de humano. Aliás, não havia reparado, mas as suas próprias características humanas também o havia abandonado.

Mas, estando lá em outra dimensão, reparou que estava diante de um tribunal. E que em sua volta havia muitos dos seres que ele havia identificado como não humanos.

Olhou para cima e viu um céu, mas no céu parecia refletir todo os momentos de sua vida. Desde o nascimento até a deixa na terra. Estava no eterno oriente. Estava prestes a descansar em paz.



Nenhum comentário:

Postar um comentário